De olhos fechados - peça radiofónica
With eyes closed - radio piece | OSSO - Eira#4 | 2021

Desde há algum tempo que nos temos interessado pelo estado em que o nosso corpo, na iminência de adormecer, perde os contornos e parece diluir-se numa espécie de emulsão que nos devolve uma experiência menos rígida e menos identitária – um estado entre a vigília e o sono. Algures nas deambulações sobre este estado, cruzámo-nos com as emissões radiofónicas do poeta surrealista francês Robert Desnos. Para esta residência na OSSO resolvemos voltar a Desnos, pela liberdade e o absurdo que caracterizam as descrições radiofónicas dos seus sonhos, mas sobretudo pela necessidade de nos fazermos acompanhar por uma pessoa da rádio nos primeiros dias da residência. É bom sentirmo-nos acompanhados e certamente que a nossa afinidade com o surrealismo, seja através dos diferentes jogos de palavras, do apelo à repetição ou do desafio a uma certa ideia de coerência, há-de transparecer também nesta emissão.

For some time we have been interested in the state in which our body, on the verge of falling asleep, loses its contours and seems to be diluted in a kind of emulsion that gives us back a less rigid and less identitary experience – a state between wakefulness and sleep. Somewhere in our wanderings about this state, we came across the radio broadcasts of the French surrealist poet Robert Desnos. For this residency at OSSO we decided to return to Desnos, for the freedom and absurdity that characterise the radio descriptions of his dreams, but above all because of the need to be accompanied by a radio person in the first days of the residency. It is good to feel accompanied and certainly our affinity with surrealism, be it through the different word games, the appeal to repetition or the challenge to a certain idea of coherence, will also show in this emission.